"A roupa é uma página em branco" - Ronaldo Fraga e a escrita da moda

05 setembro 2011 Por Fernando Hage
Nesta edição da Feira Pan-Amazônica do Livro, a organização convidou o estilista Ronaldo Fraga para mostrar sua relação com a literatura, com direito à uma exposição de roupas durante o evento e uma palestra que o estilista apresentou no último sábado, dia 03/09.


A palestra, que trouxe o estilista pela primeira vez na cidade, foi intitulada de “Moda e Literatura: quando se lê as roupas e vestem as palavras”, e Ronaldo Fraga por mais de 1h30 falou sobre sua carreira, seu processo criativo, sua relação com o Brasil e é claro, como os escritores Carlos Drummond de Andrade, Guimarães Rosa e Mário de Andrade fizeram parte de sua trajetória criativa.

O criador mineiro iniciou a apresentação falando sobre a importância do diálogo com outras frentes criativas que a moda precisa ter, por isso a relação entre moda e literatura não deve ser vista com estranhamento. "A roupa é uma página em branco", sintetiza o estilista, que sempre busca livros para iniciar o processo de criação de uma coleção.

Vindo de uma geração que se alfabetizou lendo grandes escritores brasileiros, o estilista afirmou: "É impossível falar de moda sem história, sem escrita e sem leituras possíveis". São essas leituras possíveis que Ronaldo Fraga busca em seu trabalho, "lendo" não só palavras, mas imagens, sensações e memórias de cada tema que decide trabalhar. Só nos "personagens" citados durante a palestra, passearam pela apresentação Drummond e suas palavras, Guimarães Rosa e sua obra Grande Sertão Veredas, Mário de Andrade e seu projeto Turista Aprendiz, o teatro de bonecos Giramundo, além do "Velho Chico", o rio São Francisco.

Na apresentação de cada coleção, Ronaldo Fraga falou sobre seu processo de construção do desfile, que passa pelo "registro gráfico",  pelo "desejo de cores" e "desejo de formas", e pela concepção da cenografia e música de passarela, itens também muito importantes para a mensagem e sensações que o estilista quer passar na passarela. Segundo ele, todo o desfile pode ser o último, então ele precisa ser prazeroso.

Ronaldo Fraga apresentou os vídeos conceituais de 4 coleções ao público: "Todo mundo é ninguém", "A Cobra Ri", "Turista Aprendiz" e "Tudo é Risco de Giz", além do vídeo de apresentação da exposição "Rio São Francisco navegado por Ronaldo Fraga", que já passou por cidades como Belo Horizonte e São Paulo, e seguirá para Rio de Janeiro e Brasília nos próximos meses.



"Nem sempre os meus desfiles foram aceitos como eles são hoje", cita o estilista em uma das perguntas lançadas durante o bate-papo. Em outro momento, Ronaldo Fraga deu sua opinião sobre a moda brasileira: "é preciso encontrar um jeito nosso de pensar, produzir e vender moda", e quando perguntado se sua moda poderia ser considerada teatral, concordou afirmando que "moda é teatro e passarela é palco". Elogiando nossa região, o estilista falou da riqueza de nossa culinária e que "a escolha de cores do paraense é única".

Sem dúvida a palestra de Ronaldo Fraga foi um momento de inspiração para todos os estilistas, professores e estudantes presentes (e isso incluiu até choro no microfone por parte de uma das participantes). Para quem infelizmente não pôde comparecer a palestra segue aí embaixo o link de alguns vídeos conceituais do estilista, para continuar inspirando todo mundo a encontrar o seu próprio jeito de criar!

> A Cobra Ri ( 2006), Pina Bausch ( 2009) e Disneylandia (2010)

A Feira Pan-Amazônica do Livro acontece até o dia 11.09 (domingo) no Hangar Centro de Convenções, sempre das 10 as 22h.

Fotos: Elza Lima/Agência Pará de Notícias

1 Response to ""A roupa é uma página em branco" - Ronaldo Fraga e a escrita da moda"

  1. Débi Says:

    Ele é sensacional! Não só pelo seu jeito brasileiro de criar e valorizar a cultura, como também de incentivar a leitura nas pessoas mostrando como ela pode (e deve) ser aplicada em outras áreas. Com certeza, assistir uma palestra sua deve ser, além de muito motivante, uma experiência altamente interessante.

Postar um comentário